quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Bom dia, Alice!

   Bom dia, xícara de café fumegante! Hoje, talvez, seja um dia melhor, sabe? *pléft* (Caiu da minha mão o açucareiro e se espatifou no chão). Éhm... bem, talvez não...
   Limpar açúcar é uma meleca. Respirar também: meleca de nariz. Morrer inclusive: meleca por todos os buracos.

   O telefone que não toca? Foi uma escolha minha, mas saiba que eu sempre olho todos os postes. Aliás, aqueles sonhos abaixo do sereno estão guardados e não descartados. Nunca serão descartados.

   Não há mais metáforas para Alice. Os espelhos, assim como os encantos, se quebraram e ouvi dizer que isso significa sete anos de azar. Se azar denota ver aquele breve raio de esperança, então quero quebrar espelhos a vida toda.
   Respirar dói, lembrar dói; a mão sangra, a perna também... Mas eu ainda sou tudo isso que os vampiros de mentirinha conhecem, por trás da história inventada. Família é importante, mas não vai nos erguer: a força vem das nossas pernas definhadas, secas, gravetos, do âmago murcho e do coração que, inexplicavelmente, não desiste nunca de se contorcer em sístoles e diástoles.



   Talvez tudo seja bem mais simples do que eu romantize, mas essa merda de ponte razão-emoção faz não ser. Por mais perdida que eu esteja, mais no meu mundinho de Alice eu me encontro.
   Florbela uma vez disse: "um engano feliz nos vale bem mais / que um desengano que nos custa tanto."

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Espera

   Salto alto, roupa elegante, cabelo penteado, maquiagem impecável. Na ante-sala, espero a vida passar. Em frente ao espelho também. Não estou ficando mais jovem, nem mais magra, nem mais decente.
   Cada vez que deito a cabeça no travesseiro, relembro daquele mês que não consegui mais levantar, de como tudo era pesado e eu não sabia o porquê de tudo parecer tão disforme. Daqui uma semana, eu não tomarei mais remédios, embora eu acredite que ainda não é hora, que ainda estou na ante-sala e parar é ir embora. Ir embora nunca é bom. É uma quebra, uma queda, um fim de algo que ainda deve acontecer. Por que não esperar acontecer? Esperar até quando? O que esperar mesmo?
   


(Se eu não conseguir mais respirar, não esquece que eu tentei ficar de olhos abertos o máximo que pude.)

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Específico

   Um segundo antes e um segundo depois.



   O momento de prender a respiração, fechar os olhos e explodir um canhão na água da piscina. O momento de se desprender das amarras, soltar o ar, abrir os olhos e relaxar os músculos na ânsia de buscar mais ar.
   E tudo mudou... As escolhas, a liberdade, os propósitos.
  Mas tem aquela pequena coisa que grita em mim: teus olhos brilhando refletindo as lâmpadas do bar nas noites escuras e frias, dos rodopios que a cabeça dá graças às várias cervejas geladas que escorreram (escorrem?) pela garganta quente. Lembra daquele sorriso tímido? O espelho ainda vê todos.
   O segundo exato que o corpo seco rompe as ondas inexistentes da água... O momento específico onde tudo fazia sentido e a água me engole. O ponto que a imaginação se esfacela com o trem que desliza grosseiro sobre os trilhos.

   Aquele momento exato que o Sol me mostrou a matiz esverdeada de teus olhos.



Show me love,
Or find the door.
Fire your cannonballs.
Waste faith where there never was,
A prayer.
[https://www.youtube.com/watch?v=kSx0eIM4J0Y&list=PLpH8IyrBLY8WbbGptS6RxiZ7y6495DyDK&index=1]

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Learn to be still

It's just another day in paradise
As you stumble to your bed
You'd give anything to silence
Those voices ringing in your head
You thought you could find happiness
Just over that green hill
You thouth you would be satisfied
But you never will
(Learn to be still)

We are like sheep whitout a shepherd
We don't know how to be alone
So we wander around this desert
And wind up following the wrong gods home
But the flock cries out for another
And they keep answering that bell
And one more starry-eyed messiah
Meets a violent farewell
(Learn to be still)

Now the flowers in your garden
They don't smell so sweet
Maybe you've forgotten
The heaven lying at your feet...

There are so many contridictions
In all these messages we send
(We keep asking)
How do I get out of here?
Where do I fit in?
Though the world is torn and shaken
Even if your heart is breaking
It's waiting for you to awaken
And someday you will
(Learn to be still)

You just keep on runnin'
Keep on runnin'


sexta-feira, 30 de junho de 2017

Big little lies

   Milhares de mensagens motivacionais... Como se tua vida fosse realmente um mar de ondas positivas. Tu realmente acreditas nas bobagens que tu escreves? Que um passo de cada vez te levará ao sucesso? Tens orgulho de quem tu és, das tuas mentiras, tuas cicatrizes? Alguém realmente te leva a sério?
   Nada é tão maravilhoso como nos filmes, nas músicas e nos sonhos. Nada nunca foi. Quem esteve no mar só agradece quando descobre que é saindo dele que se pode respirar... e eu, satisfeitíssima, segui teus dizeres de como nadar até a orla da praia e desfrutar de coisas que existem de verdade.
   Não importa o tamanho da onda que me baba o pé, nunca mais estarei nesse mar! :)